Livro – Vitimização e sentimento de insegurança: metodologias e pesquisas

Instituto Werner lança livro sobre vitimização e sentimento de insegurança

No contexto do Projeto Estruturado do Prof. Dr. Erni J. Seibel, o Instituto Werner lançou o livro Vitimização e sentimento de insegurança: metodologias e pesquisas. Com diversos artigos escritos por pesquisadores especialistas na área, o livro foi organizado por Erni J. Seibel e por Fábio Cadore Hartmann.

Pesquisas de vitimização é um extraordinário instrumento para a compreensão dos fenômenos do medo, da violência e da criminalidade nos tempos atuais. Ao mesmo tempo é uma ferramenta imprescindível para formular e avaliar políticas de Segurança Pública. À medida que vai adquirindo relevância diante da opinião pública e de gestores de segurança pública, aumentam também os desafios metodológicos, objeto desta publicação.

Mais informações: https://aeditora.com.br/produto/vitimizacao-e-sentimento-de-inseguranca-metodologias-e-pesquisas/

Diretor Mauro Luiz Vieira publica artigo em revista especializada em desenvolvimento familiar

O Diretor Mauro Luiz Vieira publica junto com outros pesquisadores artigo exclusivo sobre desenvolvimento familiar, a pesquisa com famílias biparentais do sul do Brasil foi publicada na Revista Pandéia (www.scielo.br/pandeia).

 

Resumo:

A função de Abertura ao Mundo (AM) refere-se a comportamentos parentais que estimulam a criança a assumir risco, perseverar diante de desafios e disciplinadores. Esse estudo teve como objetivo caracterizar, comparar e definir tipologias da AM de pais e mães da região sul do Brasil. O Questionário de AM foi respondido por 171 casais heteroafetivos com crianças pré-escolares. Análises estatísticas inferenciais indicaram que mães relataram exercer significativamente mais Estímulo à Perseverança que os pais. Identificaram-se oito diferentes tipologias de AM: Pai/Mãe Ativador(a), Pai/Mãe Protetor(a), Pai/Mãe Imprudente, Pai Autoritário e Mãe Superprotetora. A análise desses resultados permite concluir que ocorre um processo de transição da sociedade em que coexistem famílias mais tradicionais (mães responsáveis pela educação das crianças) e outras com compartilhamento do exercício da função de AM entre pais e mães. Pelos benefícios da AM para o desenvolvimento infantil, sugere- se incluí-la em Políticas Públicas que promovam parentalidade positiva.

Palavras-chave: função paterna, relações pais-criança, relações mãe-criança, pré-escolares.

 

Acesse o artigo completo no link abaixo:

1982-4327-paideia-29-e2934